Palavras garimpadas

“Pode ser que um dia deixemos de nos falar…
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe…
Mas, se a amizade permanecer,
Um do outro há de se lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos…
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos…
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe…
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente,
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos sempre.

Há duas formas para viver sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.”

Cotidiano

Hum… não estou muito bem por esses dias… Nossa! Hoje de manhã por exemplo eu tive uma crise de dor de cabeça tão forte que não conseguia nem sair da cama, pedi pra minha mãe ligar lá no meu serviço e avisar que eu ia me atrasar, só fui pra lá depois das 9:30h. da manhã, acabadaça…

Tô meio de saco cheio do serviço ultimamente, nem sei bem porquê… Tão cansada, não vejo a hora de sair fora, ir embora, vontade de sair correndo… Nem pareço a mesma, meu colega de serviço tá fazendo quase tudo sozinho, não tô contribuindo praticamente em nada! E pensar que eu já curti tanto trabalhar lá… Que será que tá acontecendo comigo?

Desabafos, Devaneios e DivagaçõesPalavras garimpadas

Nem sei bem o que anda acontecendo comigo e com as pessoas ao meu redor, de repente parece que tá todo mundo tão desanimado, passando por um monte de problemas… Eu tenho andando tão desanimada… Andei levando umas bordoadas da vida nesses dias e por mais que eu faça um bruta esforço não tô mais conseguindo manter a pose… Bom, mas com certeza é só mais uma fase e espero que passe logo.

Uma grande amiga minha me mandou por e-mail uma poesia do Fernando Pessoa, achei muito bonitinha e resolvi pôr aqui.

“O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p’ra ela,
Mas não lhe sabe falar.
Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de “dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer
Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr’a saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!
Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar…”

Fernando Pessoa

CotidianoDesabafos, Devaneios e Divagações

O dia-a-dia tá entrando melhor nos eixos… Já tô conseguindo encarar o serviço e a facul com um pouco mais de coragem, mas ainda assim tô cansada… Isso porque ainda é terça-feira!!!! Aaaaaaahhhhhhhh!

Eu queria muito saber uma fórmula mágica pr’gente conseguir se aproximar de algumas pessoas… Tenhos alguns amigos e amigas (talvez ainda estejam mais para colegas) pelos quais tenho o maior carinho, na sincera, mas não tenho muito papo… Não tem nada demais no que eu sinto por esses amigos, a não ser exatamente isso Amizade e um carinho muito, muito grande… Fiquei sabendo meio sem querer que um desses “colegas” tá passando uma fase não muito legal… tá meio enrolado na vida e anda super cabisbaixo… Eu queira tanto poder chegar nele e falar que ele pode contar comigo, que eu tô ali se ele precisar de um ombro, um abraço, uma palavra, uma piada, sei lá, qualquer coisa… Mas simplesmente não consigo… Sei lá, não existe esse tipo de abertura, é como se eu nunca pudesse fazer nada se ele não der o primeiro passo primeiro… O detalhe é que ele nunca iria poder dar o primeiro passo se eu não der a chance dele fazer isso, ou seja, dar o primeiro passo eu! E na minha timidez continuo aqui, só sorrindo, tentando passar uma mensagem sutil de “Se precisar, conte comigo porque eu estou aqui…”

Cotidiano

Como eu tô cansada!!! Essa semana foi meio traumática, nunca pensei que voltar ao serviço depois de míseros 20 dias de férias fosse tão cansativo… Hoje cedo eu tava tão acabada, que eu não conseguia levantar meu corpo da cama. Detalhe: eu sou pikinininha, levinha, levinha… Acabei chegando um pouco atrasada ao serviço, mas nada absurdo, meia horinha que eu já cumpri hoje mesmo ficando até um pouquinho mais tarde… Que bom que o fim-de-semana tá aí, né?