Cotidiano

Diário:

Sabe aqueles dias que bate aquela “nhaca”? Não dá vontade de fazer absolutamente nada, e mesmo que dê vontade, a gente não consegue fazer coisa alguma? Pois é… o dia hoje tá complicado… Lá fora o maior chuvão, aquela vontade suplicante dentro de mim, pedindo sossego, um baldão de pipocas quentinhas com manteiga, um monte de almofadas e uma pilha interminável de filmes pra assistir… Mas eu estou aqui… sentadinha em frente ao meu computador, tentando decifrar o esquema de cálculo do bendito dígito verificador do número de cadastro do sistema em que estou trabalhando atualmente… Deprimente… Mas tudo bem, melhor pensar que é tudo influência de uma 2ª feira chuvosa…

Semana passada escrevi tão pouco…

Depois da primeira semana de aulas, os trotes dos bixos e todos o lero de apresentação dos professores, as coisas na facul parecem estar retomando o ritmo normal… Não dá pra negar que é beeeem mais cansativo, tenho chegado em casa talvez um pouco mais tarde do que no semestre passado e não tem sobrado tempo pra muita coisa, mas ainda tô tentando manter a minha resolução do começo do ano de não me deixar abater tanto… com um pouquinho de força de vontade acho que dá.

Nossa! Consegui baixar um monte de músicas nesses últimos dias!!! Baixei quase toda a discografia do Nightwish, algumas do Luca Turilli e algumas do Blind Guardian, muito legal!!!

Recebi hoje um e-mail de uma cara que tá com um projeto de uma BlogNovela, me convidando a participar… Achei uma idéia até bem interessante e tô pensando seriamente em topar… É tipo uma história contada a 5 cabeças, cada dia da semana um escreve uma parte, sempre dando continuidade a uma mesma história. Ainda não tá acertado, mas pra quem já ficou curioso, já existe um endereço com um release da história: http://novela.weblogger.terra.com.br.

Palavras garimpadas

Ter vinte e poucos anos…

Isto é chamado de “crise de um quarto de vida”

É quando você pára de sair com a galera e começa a perceber muitas coisas sobre você que você mesmo não conhece e pode não gostar disso. Você começa a se sentir inseguro e pensar sobre onde você vai estar daqui a um ano ou dois, mas de repente se sente inseguro porque você mal sabe onde está agora. Você começa a perceber que as pessoas são egoístas e que, talvez, aqueles amigos que você pensou que eram tão próximos não são exatamente as melhores pessoas que você encontrou em seu caminho, e pessoas que você perdeu o contato eram algumas das mais importantes. O que você não consegue perceber é que eles percebem isso também, e não estão sendo frios, grosseiros, ou falsos, mas estão tão confusos quanto você.

Você olha para seu emprego…e não é nem perto do que você imaginava que estaria fazendo, ou talvez você esteja procurando emprego e percebendo que vai começar do zero e isso pode te assustar. Suas opiniões se tornaram mais fortes. Você vê o que os outros estão fazendo e se encontra julgando mais do que o usual, porque você percebe que desenvolveu certos limites na sua vida e está constantemente adicionando coisas na sua lista do que é aceitável e o que não é.

Em um minuto, você está inseguro e no próximo, seguro. Você ri e chora com a maior força da sua vida. Você se sente sozinho, assustado e confuso. De repente, a mudança é sua maior inimiga e você tenta se agarrar ao passado com a vida boa, mas logo percebe que o passado está cada vez mais longe, e não há nada a se fazer a não ser ficar onde está ou caminhar para a frente. Você tem seu coração quebrado e pensa como alguém que você amava tanto pôde causar tanto estrago em você. Ou você fica deitado na cama e pensa por que você não poderia encontrar alguém decente o suficiente que você queira conhecer melhor. Ou às vezes você ama alguém e ama outro alguém também e não consegue imaginar porque você faz isso, já que você sabe que não é uma má pessoa. Ficar com alguém por uma noite ou galinhar começam a parecer ridículos. Agir como um idiota se torna patético. Você sente as mesmas coisas e enfrenta as mesmas questões de novo e de novo, e conversa com seus colegas sobre as mesmas coisas porque você não consegue tomar decisões.

Você se preocupa sobre empréstimos, dinheiro, o futuro e construir sua própria vida… e enquanto ganhar a corrida seria maravilhoso, neste momento você gostaria apenas de participar! O que você pode não perceber é que todos que lêem isso encontram algo em comum. Estamos em uma das melhores e piores épocas da vida, tentando o máximo que podemos acabar com isso.

Desabafos, Devaneios e Divagações

Você precisa de mim?

A desculpa é sempre a mesma de sempre: a correria do dia-a-dia. Eu levanto às 7:30h., troco de roupa correndo, escovo os dentes, engulo um copo de café preto e saio pro serviço correndo. Geralmente chego em cima da hora e aproveito o momento em que o computador está ligando para passar o batom. Almoço no departamento mesmo. Saio às 17h., volto correndo pra casa, como alguma coisa às pressas e saio de novo, sempre correndo, afinal ainda tenho quase 1h de viagem até a facul em Americana. Normalmente chego em casa outra vez depois das 23:30h. e cansada, não faço muita coisa além de tomar um bom banho e cair na cama outra vez…

Estou falando tudo isso não pra comentar o estresse da minha rotina ou o meu estilo de vida pouco saudável. No fundo é pra tentar justificar e amenizar um certo sentimento de culpa que tomou conta de mim quando eu estava lendo o blog da minha irmã durante o horário de almoço há alguns dias… Lendo o blog, descobri que ela estava não estava passando por uma fase boa, que andava sofrendo e me passou pela cabeça: “Por quê, morando na mesma casa e me considerando amiga dela, eu só descobri isso pelo blog? Por que ela não me disse nada?

Aí é a vez da cena clássica do filme que passa diante dos nossos olhos: lembrei de todas as vezes que alegando cansaço deixei de dar atenção a ela, ou às pessoas à minha volta. Milhões de outras coisas passaram pela minha cabeça e eu poderia ficar horas aqui filosofando sobre os milhares de motivos que fazem com que a gente se esqueça das pessoas que estão mais perto da gente, mas eu sei que nada disso poderia justificar minha falta de atenção para com as pessoas que amo. Decidi afinal, que o cansaço, o estresse, seja lá qual for o motivo, ou a desculpa, nunca pode ser maior do que a necessidade que as pessoas têm da nossa presença, não simplesmente física, mas verdadeiramente real.

Cotidiano

Diário:

Esses primeiros dias de aula estão sendo bem sossegados, aquela coisa básica de início de ano: apresentação dos professores e “inauguração” dos bixos… Eu comecei o ano até bem animada e já de cara tive uma boa notícia: o professor de Redes é outro… é claro que ainda não deu pra sacar se o novo professor é bom mesmo, mas é que eu não ia muito com a juta do anterior… pelo menos a primeira impressão desse novo professor foi boa, é esperar pra ver…

Tenho chegado em casa um bocadinho mais cedo e, cansada nem tenho tido muito pique pra fazer muita coisa, geralmente fico jogando um pouco de Age Of Mythology pra relaxar que ninguém é de ferro!!! Putz, viciei nesse jogo, muito legal!!! É uma pena que eu não consigo entender toda a história direito porque a versão que eu comprei é em inglês… dá pra pegar alguma coisa mas falta muito ainda…

Por falar em inglês, as aulas do curso de inglês começaram nesse sábado com uma nova professora.. Ela parece ser gente-fina e explica bem… Essa aula foi mais uma revisão do estágio anterior, pra valer mesmo só no sábado que vem…

Ah! E no final das contas nem contei ainda: cortei a cabeleira!!! Assim na altura do pescoço, com um corte irregular, cheio de pontas… a idéia era quebrar um pouco a displicência do meu cabelo lisão… Eu gostei do resultado, ficou diferente do que eu sempre costumo usar.. e aproveitando o embalo eu também retoquei a cor. Dessa vez a tintura pegou bem, ficou bem avermelhado… Legal…

Cotidiano

Diário:

É… eu já estava totalmente decidida a mudar para o Blogger… afinal o Weblogger tava dando problemas demais, só dava nervoso… Cheguei a criar o endereço do meu novo blog, só que tava sem tempo de montar o novo template… E eis que hoje recebo aquele e-mail dizendo que os tais problemas foram resolvidos… Hum… como não estou mesmo conseguindo fazer o novo template vou insistir mais um bocadinho no Weblogger… quem sabe, né? A esperança é a última que morre… =]

E, como anda minha vida nesses dias que, de novo, o blog esteve fora do ar: na verdade, nada de muito espetacular… curti no sossego esses últimos dias de férias, fazendo blinkies, respondendo aos muitos e-mails que venho recebendo, ainda tentando colocar em dia as encomendas dos templates… Agora com o início das aulas na facul, talvez seja impossível continuar atendendo todo mundo, por isso, até que eu consiga me organizar de um jeito legal, vou estar temporariamente parando de receber novas encomendas de blinkies também… Afinal, esse site é pra mim um passatempo ao qual eu adoro me dedicar, não pode ser transformar em um motivo de estresse, não é?

Hoje começam as aulas na facul… já bate até o preguição de retornar à velha rotina, mas as férias foram boas no sentido de me dar um novo gás, estou animada para encarar o que eu espero, seja o meu último ano na facul…