Moda, Beleza e SaúdeProjetos Pessoais

Como é a sua rotina de beleza e cuidados pessoais?

.manicure.

Parando para pensar em como poderia descrever minha rotina para responder à pergunta da Kore acabei me dando conta de que não tenho uma rotina propriamente estabelecida, de ponta a ponta, quando o assunto são a rotina de beleza e os cuidados pessoais. Na verdade acho que poucas pessoas tem disso. Tenho, sim, alguns hábitos diários, outros que dependem muito da vontade, da força de vontade para vencer a preguiça, da disponibilidade de tempo… Pensei em simplesmente listar esses hábitos e algumas manias, serve como resposta? 🙂

  • Sou revendedora de produtos Avon e Natura, pela facilidade que isso me proporciona quase todos os produtos que uso no meu dia a dia são dessas marcas. Também costumo comprar eu mesma várias das novidades para experimentar, por isso o nicho onde costumo guardar os produtos para meu uso pessoal está sempre cheio.
  • Uso protetor solar todos os dias, mesmo quando está nublado ou em dias frios, quando saio de casa toda encapotada. Tenho um específico para o rosto e um para o corpo, FPS 60.
  • Todas as noites, antes de ir para a cama, passo um hidratante labial. Fico incomodada se não o fizer e acordo com os lábios rachados, às vezes, se o tempo estiver muito seco, ao ponto de sangramento.
  • Minha pele do rosto é do tipo oleosa com alguma disposição para a acne e boa parte dos meus produtos para o rosto ainda são da linha adolescente. Também uso alguns da linha “anti-idade”, mas sinceramente? Não ligo muito. Eu ainda me preocupo mais com as espinhas do que com as rugas.
  • Adoro maquiagem, mas minha disposição para aplicá-la varia muito de uma dia para o outro, especialmente na parte da manhã. Em alguns dias desfilo por aí com a maquiagem completa, em outros uso apenas um pouco de pó para disfarçar o brilho do protetor solar.
  • Tenho vááários tipos de hidratante corporal. Cremes, mousses, géis, óleos, para inverno, para verão, para banho. Adivinha se eu uso sempre?
  • Eu mesma faço minha unhas, uma vez por semana. Há alguns meses parei de tirar as cutículas e ainda estou tentando me acostumar com isso.
  • Sempre tive a mania de estar o tempo todo passando hidratante nas mãos e com esse lance de parar de tirar as cutículas a coisa ficou ainda mais evidente. Tenho sempre um por perto, deixo um em cima da mesa do trabalho, um na bolsa e vários em casa.
  • Quando me dá na telha tiro um dia inteiro para fazer um spa day, em casa mesmo. Nesse dia vale tudo: banhos perfumados, imersões, esfoliações, máscaras, todo tipo de creme, música relaxante e incenso. Se realmente me deixa mais bonita? Duvido. Mas faz um bem danado pra estima da gente, faz sim, deve ser por isso que parece funcionar.
  • Depilação e preguiça são duas palavras que andam de mãos dadas para mim. Estou sempre “atrasada” com isso. Tenho um daqueles aparelhinhos Santinelle, mas ele pouco deixa o estojo onde fica guardado, normalmente dou uma geral com lâmina mesmo, na última hora, quando tenho algum evento ou vou usar alguma roupa específica.
  • Tinjo os cabelos desde os 15 anos. Comecei porque queria mudar o visual e, embora não seja muito disciplinada, não sei exatamente quando foi que comecei a ter cabelos brancos porque sempre estiveram sob a tintura e só recentemente, quando dei uma pausa mais longa, é que percebi as mechas prateadas.

  • Adoro cosméticos com cheirinho de frutas.

ico_plug Este post é uma resposta à pergunta da Kore no Pergunta que eu respondo!, uma seção do blog onde respondo, com posts, às perguntas dos leitores. Para saber mais, enviar a sua pergunta ou ver a lista de perguntas/respostas já publicadas espia aqui.

Cotidiano

Balanço do Carnaval

Chuvinha boa caindo lá fora, a mente tranquila e descansada, um bom livro nas mãos. Assim terminou o meu feriado de Carnaval.

Não consegui fazer praticamente nada do que havia planejado, nada ambicioso ou grandioso, meus planos originais incluíam ler muito (não! jura??), fazer uma mini maratona de filmes e colorir algumas páginas do Jardim Secreto, mas aí que um probleminha aqui no blog fez com que eu perdesse praticamente todos os posts de fevereiro – alguns já publicados e outros agendados – e por conta disso acabei dedicando praticamente todo o meu feriado a reescrever esses posts (que foram republicados com as datas originais, por isso não reparem a bagunça nos feeds). Minha sorte é que costumo fazer o rascunho dos posts em um caderno antes de passá-los para o formato digital, embora eu não tivesse aqueles últimos acertos que sempre faço antes da publicação, ao menos pude resgatar as ideias básicas.

Ainda assim foram dias bons. Dias que, mesmo não sendo da folia, considero sagrados no meu calendário anual, aqueles que reservo para mim, para meu momento pessoal, para “respirar” um pouco.

Palavras garimpadas

Palavras Garimpadas #24

Aos poucos descobriu que as histórias eram parecidas, que havia um trajeto comum a ser seguido, e que esse previa imergir, mergulhar de cabeça até tocar o fundo, e, só depois de voltar à tona, respirar.

A Solidão dos Números Primos – Paolo Giordano

Projetos Pessoais

52 Objetos – #7: log de livros e filmes

52 Objetos - #7: log de livros e filmes
52 Objetos - #7: log de livros52 Objetos - #7: log de filmes

  • O quê: um caderno onde anoto todos os livros que leio e os filmes que assisto
  • Onde: em uma das gavetas da minha escrivaninha, em casa
  • Origem: o caderno foi comprado em uma papelaria, a ideia não me lembro de onde saiu

Sou viciada em livros. Sou viciada em filmes. Sou viciada em listas. Meu log de livros e filmes é um caderninho que de alguma forma reúne um pouco de tudo isso. Anoto aqui todos os livros que leio desde 2009 e todos os filmes que assisto desde 2006. Antes dele eu costumava fazer essas listas nas páginas finais da minha agenda do ano, mas a coisa toda começou a ficar muito fragmentada, por isso decidi reunir tudo em um só lugar.

Se você me perguntar qual é a real utilidade disso eu não vou saber o que responder. Simplesmente gosto disso. Não é necessariamente uma referência detalhada, nem posso encontrar um título específico com facilidade ou criar filtros, mas gosto de folhear, relembrar, escolher o que quero rever/reler, recomendar. Mantenho tão atualizado quanto minha agenda de compromissos, guardo e cuido, como um objeto dos mais queridos.

Coisa de listomaníaca mesmo, creio que não há outra explicação. 😛

» Este post faz parte do Projeto 52 Objetos que consiste em postar, uma vez por semana, durante um ano, objetos que sejam significativos para mim e digam um pouco sobre a minha pessoa. Para saber mais espia aqui e para ver os objetos já publicados aqui.

Livros

Livro: As Melhores Histórias da Mitologia Japonesa, de Carmen Seganfredo

As Melhores Histórias da Mitologia Japonesa (Carmen Seganfredo)

Assim como nas outras coletâneas desta “coleção” (da qual também já li a Nórdica, a Celta, a Africana e a Hindu) as histórias deste livro são bem curtinhas, contos de poucas páginas, resumidos ao máximo, que relatam os principais mitos japoneses, tais como a criação do Japão, os deuses do Takaamahara (o panteão japonês), a descida dos deuses à Terra, entre outros, além de uma versão de “A Vingança dos Ronin de Ako”, a mais famosa lenda acerca do código de honra samurai. As principais fontes de pesquisa para este livro foram, principalmente, o Kojiki (Registro de Assuntos Antigos), tido como o primeiro e mais antigo livro de crônicas do Japão e o Nihon Shoki (Crônicas do Japão), o segundo livro mais antigo.

Este é um caso em que meus olhos puxados não significam nada. Não conhecia nenhuma dessas histórias, não ouvi nada parecido quando era criança, nem tive o contato indireto com elas através de mangás ou animes, então para mim foi tudo novidade.

Para aqueles que, como eu, se interessam por mitologia em um nível geral de curiosidade sem interesse em um aprofundamento mais sério ou mesmo para um primeiríssimo contato, é uma boa pedida. Não são histórias que farão de ninguém um especialista, mas foram bem compiladas, em uma linguagem desprentensiosa e amigável aos ocidentais, uma boa leitura de entretenimento.

Melhores Histórias da Mitologia Japonesa, As

Seganfredo, Carmen

Capa: As Melhores Histórias da Mitologia Japonesa

  • Editora: Artes e Ofícios
  • Categorias: Mitologia, Contos
  • Avaliação: ★★★★☆