Arquivos

Categoria: Palavras garimpadas

Palavras Garimpadas #7

Tinha a sensação de ter sempre feito tudo para alguma outra pessoa, mas agora havia apenas ela – Alice – e podia, simplesmente, parar render-se, e só. A Solidão dos Números Primos – Paolo Giordano

28/01/2013 | Palavras garimpadas | Comentários (2)

***

Palavras Garimpadas #6

Ninguém pode realmente compreender um sonho. Nem mesmo Freud. Uma das leis da alma humana é a intermitência. Quem disse isso? Proust. Em Busca do Tempo Perdido (o equivalente francês do romance chinês O Sonho no Pavilhão Vermelho. Os artistas, essa raça à parte, também não compreendem os sonhos, mas eles os criam, vivem-nos e […]

04/01/2013 | Palavras garimpadas | Comentários (0)

***

Palavras Garimpadas #5

Dizia que se fôssemos capazes de ver a realidade do mundo e de nós mesmo, sem rodeios, por um só dia, do amanhecer ao entardecer, daríamos cabo da própria vida ou perderíamos a razão. O Jogo do Anjo – Carlos Ruiz Zafón

07/12/2012 | Palavras garimpadas | Comentários (0)

***

Palavras Garimpadas #2

Ela desejava, com avidez, possuir a despreocupação das meninas da sua idade, o sentimento vazio de imortalidade. Desejava toda a leveza dos seus quinze anos, mas, na busca por alcançá-la, despertava a fúria com que o tempo de que dispunha se esvaía. A Solidão dos Números Primos – Paolo Giordano

21/08/2012 | Palavras garimpadas | Comentários (0)

***

Palavras Garimpadas #1

As pessoas só observam as cores do dia no começo e no fim, mas, para mim, está muito claro que o dia se funde através de uma multidão de matizes e entonações, a cada momento que passa. Um só hora pode consistir em milhares de cores diferentes. Amarelos céreos, azuis borrifados de nuvens. Escuridões enevoadas. […]

11/07/2012 | Palavras garimpadas | Comentários (0)

***