Livros

Livro: A Maldição do Tigre, de Colleen Houck

A Maldição do Tigre (Colleen Houck)

A Maldição do Tigre já estava na minha estante há muito tempo, foi um desses livros comprados por impulso, na época eu ainda não tinha ouvido nada a respeito da história ou da autora, foi mesmo por causa da capa (que achei linda) e da temática (tigres – grande felinos de maneira geral – estão entre os animais que mais admiro).

Não posso dizer que tenha sorteado o título da minha TBR Jar em má hora, eu tinha concluído a leitura de Ao Farol (Virginia Woolf) e A Storm of Swords (George R. R. Margin) recentemente, ainda estava me recuperando da ressaca causada pela leitura concomitante de dois livros – cada um à sua maneira – bastante intensos e precisava de um detox, algo mais “leve”, uma leitura descompromissada para distrair os neurônios.

E é exatamente o que a leitura de A Maldição do Tigre foi para mim, um bom entretenimento.

O livro conta a história de Kelsey Hayes, uma jovem prestes a completar 18 anos que perdeu seus pais recentemente e procura por um emprego a fim de custear seus estudos. Contratada temporariamente por um circo que está passando uma temporada na cidade, Kelsey se encanta completamente pela principal atração: um belo tigre branco de profundos olhos azuis. Sem entender exatamente o porquê, Kelsey se sente conectada ao tigre e começa a passar todo o seu tempo livre ao lado da jaula desenvolvendo uma espécie de relação amistosa com ele.

Quando a temporada no circo já está no fim, um comprador aparece com uma generosa oferta pelo tigre junto com a promessa de reintegrá-lo ao seu ambiente natural na Índia e Kelsey é convencida a acompanhá-lo na viagem, uma vez que o transporte pode ser menos traumático para o animal se houver alguém capaz de mantê-lo calmo por perto. Chegando à Índia, porém, a jovem descobre que o tigre é, na verdade, Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado há 300 anos e que precisa da ajuda dela para quebrar a dita maldição.

Foi uma leitura muito rápida, de fácil assimilação já que a escrita é bastante simplória, mas devo dizer que em muitos momentos eu fiquei na dúvida se este é o “estilo” da autora ou um desses casos em que coisa toda perde um pouco do brilho com a tradução.

Atenção! A partir deste ponto o post pode conter spoilers porque não resisti a fazer alguns comentários sobre o enredo.

Gostei bastante da maneira como a história abarca não apenas elementos da mitologia hindu, que é das mais antigas e complexas do mundo, mas também os paralelos e similaridades com histórias de outras culturas. Não me empolguei nas primeiras páginas, mas quando a aventura realmente começa o ritmo é frenético, bem ao estilo Indiana Jones mesmo (aliás, uma referência é verbalizada pela própria Kelsey no livro).

Houve, ainda assim, vários pontos que me arreliaram um pouco, o principal deles é essa vibe Crepúsculo que mais parece uma nuvem carregada pairando acima da minha cabeça toda vez que estou lendo um young-adult. Tento afastar comparações, mas não posso dizer que tenha muito sucesso com isso. A Maldição do Tigre tem um “quê” de indefinível na similaridade, não chega a ser apenas uma variação, ao passo que também não consegue fugir da mesma ideia.

Se uma enxurrada de cenas cliché claramente inspiradas em filmes de aventura (daqueles que a gente amava na Sessão da Tarde) te incomoda é melhor nem perder tempo com o livro. A aventura é praticamente um roteiro pronto para uma adaptação para as telonas, cenas grandiosas, que você já lê visualizando os efeitos especiais computadorizados. Eu consegui deixar isso de lado e embarcar na aventura. Vai de cada um.

Outro ponto que me fez torcer o nariz foi a noção muito confusa do tempo. Os tigres podiam permanecer na forma humana por 24 minutos por dia, certo? No entanto há muitas ocasiões, fora do ambiente mágico em que isso seria possível, que a narrativa inclui ações e acontecimentos demais para um espaço de tempo tão curto. Pode ser só um detalhe bobo e sei que um livro de fantasia não pretende ser de fato realista, mas eu sou uma garota da área de exatas e esse tipo de inconsistência me incomoda. 😛

Enfim, resumindo o palavreado todo: não entendi tanta comoção a respeito da série, fiquei surpresa com o nível de fanatismo de alguns grupos que encontrei enquanto fazia pesquisas em busca de mais informações para a resenha. Por outro lado não digo que é um livro ruim, longe disso. É uma boa aventura, com personagens apaixonantes e uma ótima distração. Mas devo dizer, apesar de não ter me cativado completamente, Colleen Houck conseguiu, sim, me deixar muito curiosa, a ponto de considerar que, sendo a leitura fácil e rápida, não me incomodaria encarar os próximos volumes da série, o que de fato fiz. Resenhas em breve. 😉

Maldição do Tigre, A

Houck, Colleen

Capa: A Maldição do Tigre

  • Série: A Saga do Tigre #1
  • Editora: Arqueiro
  • Categorias: Literatura Estrangeira, Fantasia, Mitologia Hindu, Young-Adult
  • Título Original em inglês: Tiger’s Curse
  • Site do autor: http://colleenhouck.com/
  • Avaliação: ★★★☆☆

Amaranthe – Dynamite

Deixe um comentário

  • Todos os comentários passarão por moderação antes de aparecer publicamente no blog, dessa maneira espero organizar melhor a interação com os leitores e minimizar o problema de comentários que acabam ficando sem resposta, ok?
  • Sinta-se à vontade para dar a sua opinião, seja para concordar ou para discordar, mas, por favor, baseie-se em argumentos e não em baixaria.
  • Comentários ofensivos, escritos em letras maiúsculas ou em miguxês, com excesso de erros, palavrões ou alheios ao conteúdo do post não serão publicados.
  • Todos os comentários são responsabilidade de seus respectivos autores e não refletem, necessariamente, a opinião da autora do blog.