Desabafos, Devaneios e Divagações

Warm feeling

037/366

Surpreendo-me ao constatar que há qualquer coisa de reconfortante na mecânica dos dias, na execução de tarefas rotineiras, no simples reencontrar. Percebo aquelas pequenas coisas que, na obsessão e no caos, acabo por ignorar. Fico emocionada com os gestos de apoio – sutis e valiosos – daqueles que sempre estiveram por perto sem fazer alarde, com a manifestação de preocupação e carinho de pessoas inesperadas.

Descubro-me, subitamente, aliviada.

Alguns dias ligeiramente desnorteada e então percebo que estava carregando um pesado fardo sem ao menos me dar conta disto. Quando foi que tudo começou a ficar tão pesado? Não importa mais.

O alívio também desorienta, mas me conforta sentir que posso descansar os pés em solo conhecido por alguns momentos antes de continuar o meu caminho. Não ficarei parada aqui por muito tempo – não quero ficar, não vou me jogar de volta aos braços da estagnação em prol de uma suposta tranquilidade -, mas quem pode tirar de mim a certeza de que ainda posso fazer escolhas, tomar a rota que me apetecer, avançar segundo meu próprio ritmo, sem atropelar a mim mesma nem àqueles que encontro pelo caminho e de que tenho para onde voltar caso descubra que o lado de lá não é bem o que imagino?

Eu disse para uma amiga há pouco: a fase não está sendo fácil, mas eu sei que este é um momento pelo qual PRECISO passar. A sensação é a mesma de quando vou arrumar minha sempre caótica bolsa: viro tudo de cabeça para baixo, faço a maior bagunça, mas é quando tenho a oportunidade de ver que estou carregando um monte de inutilidades que só fazem peso.

Você já sabe o que vai ser quando crescer, Luma?

Goodbye
Your pocket full of dreams
Your mind in a daze
Keep on chasing rainbows
Fly high
Leave the past behind
The dark road you take bears no escape

In a world of grand illusions
Where love is just a dream
You gotta make your sacrifices
Time to pick your poison

The fool is he who is noble minded
And bellies up to poverty
He’s not a king in the world of diamonds
Paling into oblivion

I lay down my soul for glory
I’ve given a life away
Don’t know if I am sorry
Blind me, blind me

Don’t know where I’ll be going
I gotta get away
From the pain of recollection
Drawn into the faint

Hang on to a runaway train
No turning back
Tethered to a runaway train
Take me away
Torpid in the wind and rain
No turning back
Hang on to a runaway train
Take me away

If I’m a stranger to myself
Then I better gotta stay away
Even better gotta get away, get away
Time to pick my poison

Feel the devil sitting in my neck
Straight ahead into the unknown
Oh father I forgive you for I
Don’t know what I’m doing

It’s only human nature
To keep away from pain
Take a train to ecstasy oh
Ride on, ride on

Inhale the scent of heaven
Respire the smell of fame
You’ve been to hell and back
You can’t change things anyway, no

I hang on to a runaway train
No turning back
Tethered to a runaway train
Take me away
Torpid in the wind and rain
No turning back
I hang on to a runaway train
Take me away

Reaching out to rule the world
you’ll watch the mirror shatter
As you’ll be dazzled by the sight
Once only diamonds mattered

How can you justify the way
When you wake up screaming
Will you pretend that you were blind
When you were really seeing

Your image everywhere
The looking glass: a sheet of ice
It’s thick enough to dance on
In a frozen realm of lies

But the ice will break
And you will scream repenting
Oh boy the ice will break
You’ll just feel your heart rending

Riding on to a world of funny flowers
Riding on to the white wide world
If coming back would hurt my pride
I rather take another ride
Riding on, winter on the mirror
Riding on into the unknown
If I’ll awake in pain one day
I gotta catch just one more train

Days gone by
Who’d wanna live forever
On our knees up your road
Paved with good intentions
Fly high
Where angels can’t breathe no more
Some dare to go blind
Some stay behind

I hang on to a runaway train
No turning back
Tethered to a runaway train
Take me away
Torpid in the wind and rain
No turning back
I hang on to a runaway train
Take me away

Hang on to a runaway train
No turning back
Tethered to a runaway train
Take me away
Torpid in the wind and rain
in the wind and rain
I hang on to that runaway train

Avantasia – Runaway Train

Anúncios

Comentários (1)

Deixe um comentário

  • Sinta-se à vontade para dar a sua opinião, seja para concordar ou para discordar, mas, por favor, baseie-se em argumentos e não em baixaria.
  • Comentários ofensivos, escritos em letras maiúsculas ou em miguxês, com excesso de erros, palavrões ou alheios ao conteúdo do post não serão publicados.
  • Todos os comentários são responsabilidade de seus respectivos autores e não refletem, necessariamente, a opinião da autora do blog.