Livro: A Próxima Vítima, de Julie Garwood

, , ,

Capa: A Próxima Vítima, de Julie Garwood Alec Buchanan está prestes a deixar seu trabalho como detetive na Polícia de Chicago para assumir um cargo de destaque no FBI, mas antes precisa realizar uma última tarefa: proteger Regan Hamilton Madison, a charmosa herdeira de uma rede de hotéis de luxo e administradora da instituição filantrópica da família.

A polícia e os irmãos superprotetores de Regan acreditam que sua vida corre perigo quando ela começa a receber inquietantes fotos de cenas de crimes onde as vítimas são pessoas que tiveram algum tipo de contato desagradável com a moça.

O problema parece ter começado quando Regan concordou em ajudar uma amiga jornalista a desmascarar o Dr. Shields, charlatão da área de auto-ajuda, que costuma enganar mulheres vulneráveis para lhes extorquir grandes somas em dinheiro. Na busca por provas Regan participa de um dos seminários de Shields e durante o encontro de apresentação é obrigada a tomar parte em um exercício de recomeço proposto pelo palestrante: todos os participantes devem fazer uma lista com o nome de pessoas de seu passado de quem gostariam de se ver livres para iniciar uma vida nova. As listas deveriam ter sido queimadas em um ato simbólico de limpeza, mas uma série de imprevistos faz com que Regan não consiga destruir a sua, acaba por perdê-la e, dias depois, as pessoas citadas começam a ser assassinadas uma a uma…

A Próxima Vítima é muito mais um livro para quem procura uma história romântica do que um suspense policial (embora não seja excepcional em nenhum dos casos), a convivência entre guarda-costas e protegida e a atração entre eles é muito mais trabalhada do que o thriller em si. A príncípio o argumento me pareceu bem interessante, existe a figura do serial killer (motivo pelo qual acrescentei o livro como um extra ao Desafio Literário) e alguma tensão no ar, mas as coisas demoram um bocado a acontecer, a ação fica muito aquém das expectativas e culminam em uma pretensa reviravolta que, na boa, não surpreende nem o leitor mais distraído. Não chega a ser um livro ruim, é apenas… morninho – pouco lisonjeiro para o que poderia ser realmente um bom thriller.

O livro faz parte de uma série em que cada volume conta a história – não interligada às outras – de um dos membros da família Buchanan-Renard. Eu nunca tinha lido nada de Julie Garwood e tenho visto alguns comentários sobre este ser um dos livros mais fracos dentro de uma das séries menos competentes da autora, mas ainda que me reste alguma curiosidade não creio que tão logo eu vá encarar outro livro dela, especialmente quando ainda tenho tantos e tantos outros de maior interesse na minha estante…

Este post faz parte do Desafio Literário, cuja tarefa para o mês de março é ler livros com a temática de serial killers. Leia também as resenhas de Criança 44, de Tom Rob Smith, Batons, Assassinatos e Profetas, de Mehmet Murat Somer e Calafrios, de Lisa Jackson.

Próxima Vítima, A

Garwood, Julie

  • Editora: Landscape
  • Categorias: Literatura Estrangeira, Policial
  • Título Original: Murder List
  • Avaliação: ★★★☆☆

Anúncios

Comentários (2)

Deixe um comentário

  • Sinta-se à vontade para dar a sua opinião, seja para concordar ou para discordar, mas, por favor, baseie-se em argumentos e não em baixaria.
  • Comentários ofensivos, escritos em letras maiúsculas ou em miguxês, com excesso de erros, palavrões ou alheios ao conteúdo do post não serão publicados.
  • Todos os comentários são responsabilidade de seus respectivos autores e não refletem, necessariamente, a opinião da autora do blog.