Projetos Pessoais

Projetos e Desafios para 2015

Projetos e Desafios para 2015

Quem já me acompanha há algum tempo sabe que eu sou #aloka dos projetinhos pessoais. Se envolve listas, algum tipo de tarefa a ser cumprida em determinado período de tempo e, principalmente, se for relacionado a livros ou filmes ou fotografia, é certeiro, me atiça na hora. E você pode até dizer que esse negócio de “ano novo” é apenas uma questão de calendário, mas eu simplesmente a-do-ro a ideia de começar essas coisas junto com um ano novinho em folha, repleto de possibilidades. Sim, eu sou cliché.

Você deve imaginar que com a proximidade da virada de ano já estou ansiosíssima para botar em prática aqueles que venho planejando desde meados de agosto/setembro. Juro, fiz o possível para não exagerar, pensei bem naqueles que realmente acredito poder executar uma vez que estou fazendo o projeto das 101 coisas e apenas este já é bastante trabalhoso.

Os projetos que escolhi para 2015:

Projeto 101 Coisas em 1001 Dias

Como dito, meu projeto master continua sendo a lista de 101 coisas e, direta ou indiretamente, praticamente todos os outros projetinhos que pretendo colocar em prática em 2015 estão relacionados a este.

Dentro desta lista quero dar uma atenção maior para os itens que foram um pouco negligenciados no ano corrente, especialmente aqueles relacionados a filmes (1001 filmes e ganhadores do Oscar), a trabalhos artesanais e a pequenos passeios.

Minha intenção é, na medida do possível, chegar ao final do ano com pelo menos 30% dos 101 itens riscados.

52 Objetos

Eu já tinha ouvido falar neste projeto há muito tempo, mas não aderi na época, deixei guardadinho na gaveta para um momento mais propício, até porque estava envolvida com outros desafios e não queria embolar tudo. Agora, como este também é um item da minha lista de 101 coisas, decidi que está na hora de encarar.

Todos os links com a indicação do projeto original que tentei seguir deram em páginas que não existem mais, então copiei o mote do blog da Ana Paula:

Years from now someone comes across a box full of your possessions and tries to piece together a story of the person you were. Maybe this box contains photographs, books, personal documents, clothing, cutlery, ticket stubs or even a packet of gum. What would those objects say about you? Would they tell an accurate history of your life? What story would they tell?

Em muitos anos no futuro alguém encontra uma caixa cheia de coisas que você possuiu e tenta descobrir que tipo de pessoa você era. Talvez essa caixa tenha fotografias, livros, documentos pessoais, roupas, talheres, bilhetes de shows ou até um pacote de chiclete. O que esses objetos diriam sobre você? Eles mostrariam um retrato fiel da sua vida? Qual história eles diriam?

Pretendo fazer as postagens uma vez por semana, durante um ano, a partir da primeira segunda-feira de 2015. Os objetos serão postados aqui mesmo no blog, de forma aleatória, sem qualquer ordem de preferência ou importância.

Project365

Pois é. De novo.

Eu já tentei concluir este projeto fotográfico 3 vezes antes, mas por um ou outro motivo (até mesmo ter a câmera roubada com todas as fotos do último mês dentro) nunca cheguei até o final. Bem, pode chamar de persistência, teimosia ou simplesmente ilusão, fato é que vou tentar novamente.

Para quem não conhece, a ideia é muito simples: uma foto por dia, todos os dias, durante um ano.

Desta vez as fotos serão tiradas com o celular (atualmente estou usando um Samsung Galaxy S5) e as publicações serão feitas no meu Instagram (e “replicadas” no Flickr e no Facebook), porque descobri que o fato de estar sempre com o celular em mãos realmente facilita as coisas e porque o Instagram é a rede social de compartilhamento de fotos em que tenho sido mais assídua nos últimos tempos.

Também decidi não fixar temas para as fotos, apenas me concentrar no exercício do olhar fotográfico e dar preferência a registros diferentes daqueles que já costumo publicar no Instragram no dia-a-dia.

Começo no primeiro dia do ano e no final de cada mês um resumão com todas as fotos do período será publicado aqui no blog.

Clube de Leitura

Eu havia prometido a mim mesma que não me envolveria com outros desafios de leitura enquanto estivesse comprometida com aqueles itens relacionados a livros da tal lista de 101 coisas, mas… bem, alguns convites eu simplesmente não consigo recusar.

Este Clube de Leitura já existe há mais de 3 anos, nunca foi muito divulgado, somos apenas um grupo de amigos virtuais fazendo leituras coordenadas e trocando ideias sobre a experiência. Não é um clube grande nem popular, a bem da verdade o grupo chegou a contar com apenas 3 pessoas em alguns meses, mas a ideia é dar um up nisso tudo.

As atividades – divulgação do tema do mês e a lista de resenhas – costumavam ser centralizadas no blog de uma das participantes, a Adriana, mas recentemente ela decidiu encerrar o blog e veio me pedir para centralizar essas atividades aqui, no LK.net – eis o convite que não pude recusar.

A participação é aberta, envolve apenas a leitura e a resenha de livros que correspondam ao tema publicado no início de cada mês, com compartilhamento de links, discussões online e, ocasionalmente, sorteio de livros aos participantes. Mais informações e o primeiro tema desta nova fase em breve.

Cinema e Vídeo

Filme: Mama

Mama - Cenas do Filme

Não tenho a ilusão de acreditar que todo mundo pense da mesma maneira, mas a mim agrada mais um arroz com feijão bem temperado do que um pretenso, caro e insosso haute cuisine. Esta é mais ou menos a sensação que tive com Mama, uma produção que não surpreende, não foge dos clichés do gênero, não flerta com a grandiosidade, mas funciona pela eficiência no uso dos elementos básicos.

Tudo começa em meio a uma pesada crise financeira no ano de 2008 quando Jeffrey D’Asange (Nikolaj Coster-Waldau), um homem profundamente perturbado, mata todos os seus colegas de trabalho e estrangula sua esposa antes de pegar suas duas filhas – Victoria de 3 anos e Lilly de apenas um ano – e sair dirigindo em alta velocidade durante uma tempestade de neve. Sobrevivendo a uma derrapagem nas montanhas, eles vão parar em uma cabana abandonada no meio da floresta. Planejando matar as meninas e cometer suicídio, Jeffrey aponta uma arma para a cabeça de Victoria mas é impedido por uma misteriosa sombra que o mata, quebrando seu pescoço.

Depois de cinco anos e muitos gastos com as buscas, a persistência de Lucas, o gêmeo idêntico de Jeffrey (também interpretado por Nikolaj Coster-Waldau), é finalmente recompensada quando as meninas são encontradas, em estado quase selvagem, ainda isoladas na mesma cabana.

Apesar da hostilidade inicial e da necessidade de acompanhamento psicológico constante, as meninas vão morar com o tio e sua namorada Annabel (Jessica Chastain). “Acidentes” começam a acontecer, um deles levando Lucas a ser hospitalizado em estado de coma. E é quando Annabel começa a perceber que a tal “Mama”, a que as meninas tanto referenciam, pode ser algo mais assustador do que um conforto psicológico inventado por duas crianças vivendo isoladas em um local abandonado por muitos anos.

Uma história direta, sem complicações ou ramificações desnecessárias, que tem qualquer coisa de intrigante e consegue despertar alguma curiosidade. Apesar das motivações da Mama reveladas no desfecho terem caído em uma inevitável mesmice, a direção firme de Andrés Muschietti conseguiu manter o desenrolar da trama em um nível bastante equilibrado, com efeitos visuais convicentes, uma boa trilha sonora e sutilezas que acabam funcionando melhor do que tentativas óbvias e desesperadas de causar sustos.

Outro ponto de destaque na produção é o elenco. Jessica Chastain desenvolveu um ótimo trabalho ao dar personalidade e força a uma personagem que tinha tudo para cair na caricatura tediosa da “garota cool, baixista de uma banda, que não tem jeito com crianças”. Megan Charpentier, que interpreta Victoria, também está muito bem sintonizada, empresta emoção e reações convincentes a um papel que, a meu ver, não é de tão representação simples para uma criança tão nova. Sobre Nikolaj Coster-Waldau, o Jaimie Lannister de Game of Thrones, não há muito a dizer, uma vez que seu papel, relegado a um patamar secundário, é praticamente irrelevante para a trama e não deixa espaço para mostrar seu trabalho.

Vale a pena? Creio que vale sim, se você não estiver na expectativa de filme que lhe arranque gritos de susto ou emoções extremas. Mama é um filme que funciona, que não força a barra ao ponto de cair no ridículo e justamente por isso é “agradável” (se é que posso usar esta palavra para um filme de suspense/terror) acompanhar.

Mama

Mama (Canadá / Espanha, 2013, 100 min.)

Cartaz:

  • Direção: Andrés Muschietti
  • Roteiro: Andrés Muschietti, Neil Cross, Barbara Muschietti
  • Gênero: Terror, Suspense
  • Elenco Principal: Jessica Chastain, Nikolaj Coster-Waldau, Megan Charpentier, Isabelle Nélisse, Daniel Kash, Javier Botet
  • Site Oficial: http://www.mamamovie.com
  • Avaliação: ★★★☆☆

Trailer

Vídeos Interessantes

Vídeo: Tetris vs Contra

Palavras garimpadas

Palavras Garimpadas #22

É como quando você se olha no espelho e diz seu nome. E chega um ponto em que nada parece real.

As Vantagens de Ser Invisível – Stephen Chbosky

Links Interessantes

Links interessantes #80

Receitas

Organização

Maquiagem

Outros

Curti

Posts que gostei de ter lido nos blogs pessoais que acompanho: