101 Coisas: [✔] 48. Assistir todas as temporadas de “Friends”

,

Friends

A meta foi concluída há umas 2 semanas, eu ainda não tinha encontrado um tempinho para escrever algo a respeito e deixar o registro aqui no blog.

Parando agora para pensar, percebo que eu já vinha tentando concluir esta série há muito tempo, tanto que um item parecido chegou a figurar na minha primeira lista de 101 coisas. Parece que este é mesmo o grande alvo da minha lista atual: dar conta de todas essas “coisinhas” que vivo procrastinando.

Minha “relação” com Friends é antiga, mas só tenho a lembrança de ter sido, desde sempre, uma fã da série, juro que não lembro como foi que começou. Antes mesmo de poder considerar o item como concluído eu já havia assistido todos os episódios. Várias vezes. De maneira aleatória. O objetivo era fazer isso cronologicamente, episódio a episódio, desde o piloto.

Talvez seja justamente o motivo pelo qual demorei tanto para concluir o que deveria ter sido uma maratona, eu já sabia o que ia acontecer, conhecia a história toda e seu desfecho. Por mais fã que eu seja, a empolgação para seguir em frente não é exatamente a mesma.

Mas aí está, graças ao Netflix, que disponibilizou as 5 últimas temporadas me isentando da tarefa de ficar procurando e baixando os episódios (tenho uma preguiça disso que vocês nem imaginam, e ainda não tenho tudo em DVD) posso riscar mais um item da lista!

Fiapos do Cotidiano #1

Toca o celular, um número que não conheço. Atendo. Do outro lado uma voz de homem:

- Oi, deixa eu falar com o Sérgio?

- Não tem ninguém com este nome aqui.

- Ah… tá bom… desculpa…

No mesmo dia, umas 3 horas mais tarde, outro número que não conheço e a mesma voz de homem:

- Oi, posso falar com o Sérgio?

- Não tem ninguém com este nome aqui, moço…

- Ah… tá… desculpa…

No dia seguinte, o mesmo número da primeira ligação (infelizmente eu não percebi antes de atender), a mesmíssima voz:

- Por favor o Sérgio?

- Moço, você já ligou várias vezes, eu já falei que não tem nenhum Sérgio nesse número.

Ele, de repente gritando:

- Ah é? Pois eu duvido muito! Aposto que você tá escondendo esse safado, caloteiro, filho-da-p* do caral…! Vou continuar ligando até ele me atender! Ele não vai poder mandar os outros atenderem o celular dele para sempre!

Meu Blog Planner

,

Blog Planner: meu cantinho

Alguns dias atrás publiquei uma foto do meu blog planner no Instagram e algumas pessoas vieram me perguntar como é que funciona esse meu esquema de organização. Natureza de blogueira querer transformar qualquer coisa em assunto para posts e é exatamente isso que resolvi fazer: escrever um pouquinho sobre meu sistema de planejamento e organização para o blog.

Um pouquinho do histórico

Mantenho este blog há (quase) 12 anos. É óbvio que nesse tempo muita coisa mudou e não é desde sempre que precisei de agendas para manter isso aqui funcionando. Acredito que a necessidade de ter um planejamento mais organizado para o blog surgiu quando este deixou de ser apenas um repositório de desabafos impulsivos e passou a abrigar também meus exercícios de escrita, o acompanhamento de meus projetos e as socializações “bloguísticas”.

Blog Planner: disponíveis

Minhas primeiras tentativas de usar um planner para o blog foram com modelos “free printables” baixados da internet. Para quem não sabe por onde começar, uma simples busca no Google rende zilhões de resultados e o Pinterest também é uma fonte quase infinita para ideias e inspirações.

No início eu apenas sabia que queria organizar isso de alguma forma, mas não tinha ideia de como fazer, então simplesmente peguei aquele que achei mais bonitinho (era um todo ilustrado com gatinhos que infelizmente não encontrei mais disponível) e comecei a usar. As alterações vieram com o tempo e o uso, fazendo adaptações aqui e ali conforme a minha necessidade.

A maioria desses printables encontrados na net trazem kits completos, com seções para gerenciar praticamente qualquer aspecto da vida blogueira: calendários, listas, tarefas, ideias, agendamentos, manutenção, monetização, parcerias, estatísticas, contatos, links, redes sociais, comentários… Eu fiz várias experiências e acabei eliminando quase tudo. Procuro manter o mais enxuto possível porque a experiência me mostrou que para mim funciona melhor assim. Seções demais não me ajudam porque acabo gastando mais tempo tentando deixar tudo atualizado do que realmente utilizando essas informações.

Meu planner

Blog Planner: planner e acessórios

Atualmente estou usando uma pasta tipo fichário, reaproveitando um organizer antigo que usei como agenda pessoal em 2010 (que, por sinal, já está bem desgastada e deverá passar por um recapeamento em breve). O tamanho das folhas e a furação não é padrão e esse é o único ponto que demanda um trabalhinho extra, mas nada que uma guilhotinha manual (emprestada de Mamãe, que corta bastante papel para os origamis dela) e um perfurador de 4 furos (um dos meus xodós em meio a minha obsessão por material de papelaria) não resolvam. Considerando que uso poucas páginas por ano (uma frente e um verso por mês, por assim dizer) o trabalho não é tanto.

Para dividir as seções uso o conjunto de divisórias que veio com a pasta. São 6 divisórias, 5 estão em uso:

  • Planejamento
  • Rascunhos
  • Fotos
  • Ideias
  • Contatos

Meu sistema de planejamento

Meu sistema hoje é muitíssimo simples – vai decepcionar aqueles que esperavam um esquemão abrangente e superorganizado – e inclui apenas um calendário mensal e uma lista de posts.

Blog Planner: calendário e lista de posts

O miolo da seção de planejamento é uma versão que eu mesma montei no Office (uso o LibreOffice, caso alguém tenha curiosidade em saber), que não é nem de longe tão bonitinha quanto as que a gente pode encontrar na internet, mas encaixa perfeitamente com o meu modo de trabalhar. Apesar de adorar impressos “bonitinhos” também acabei eliminando ilustrações, fundos e bordas, e imprimo tudo em preto e branco, porque uso codificação por cores (color coding) para identificar os posts e o excesso de “perfumaria” acaba atrapalhando a visualização.

É um pouco dífícil descrever um processo que para mim já funciona praticamente no automático, mas basicamente faço um planejamento guia no início de cada mês e pequenas manutenções no decorrer do período.

Blog Planner: lista de posts

O primeiro passo é um “descarrego de rascunhos mentais”, vou simplesmente listando os posts que eu gostaria de escrever e publicar nas próximas semanas. Levo em consideração que não gosto de publicar muitos posts com temas repetidos seguidamente, consulto meu repositório de ideias, verifico a numeração de posts sequenciais (como as “Palavras Garimpadas” ou os “Links Interessantes”). Nesse ponto ainda não me preocupo com datas, defino dias específicos apenas para aqueles posts relacionados a datas comemorativas, aniversários e afins, os outros na maioria das vezes são atemporais e ficam mesmo à mercê da minha inspiração para escrever.

Blog Planner: calendário

A codificação por cores entra em um segundo momento, quando o post já foi escrito, marco o item com o destacador amarelo na listagem e anoto o título do post com a cor da categoria/seção respectiva no calendário.

Essa visão mensal do calendário aliado ao uso das cores me ajuda a ter uma boa noção da frequência de posts e dos assuntos abordados. Minha decisão sobre “o quê escrever hoje” normalmente é o resultado d’o que vejo nesse calendário combinado com a inspiração do momento.

É claro que nem todos os posts são planejados com antecedência, aqueles mais espontâneos – geralmente os mais pessoais, o diário e os desabafos (que têm sido cada vez mais raros por aqui e sobre isso a Ana Paula escreveu um ótimo post com o qual me identifico muito) ou aqueles textos que simplesmente “me ocorrem” – eu escrevo e publico na hora, depois só faço o registro no calendário.

Blog Planner: cancelados e adiados

Ao final do mês, aqueles itens que não viraram posts também são classificados: os que não pretendo mais escrever são definitivamente cancelados e marcados de azul, aqueles que eu ainda pretendo escrever são transcritos para o mês seguinte e marcados como “adiados” com o destacador laranja.

E, por fim, tarefas relacionadas ao blog (backups, manutenções, atualização de páginas fixas) são anotadas naquele espaço ali, abaixo do calendário.

Outras seções

Rascunhos

Blog Planner: rascunhos

Pois é, sou dessas. Escrevo melhor com papel e caneta, mesmo que tenha que rabiscar muito, usar símbolos para indicar a formatação do texto e puxar setas para todos os lados para indicar a ordem dos parágrafos, por isso a maior parte dos meus posts ainda é escrita à mão e esta seção é onde ficam guardados esses textos que ainda estão em período de gestação.

Fotos

Blog Planner: fotos

Esta seção é relativamente recente, foi criada há uns 3 ou 4 meses, quando decidi que tentaria usar, com mais frequência, minhas próprias fotos para ilustrar os posts no blog ao invés de ficar sempre caçando imagens utilizáveis na internet. Mais uma vez: sou dessas. O processo é quase involuntário, quando estou escrevendo um post já vou visualizando mentalmente como ele ficará quando for publicado e as fotos/imagens praticamente se formam sozinhas na minha cabeça. E esta listinha é apenas para isso mesmo, ela fica ao meu lado quando estou escrevendo e vou anotando o “roteiro” das fotos que preciso fazer mais tarde.

Como exemplo, na foto aí em cima, a lista das fotos que decidi fazer enquanto escrevia este post que você está lendo.

Ideias para posts futuros

Blog Planner: ideias

Ideias podem surgir a qualquer momento, em qualquer lugar. Não carrego o blog planner comigo, mas sempre tenho bloquinhos de post-it na bolsa, então, quando a lâmpada da ideia se acende, faço uma anotação rápida para evitar o esquecimento e depois transfiro a notinha para esta seção. Sugestões e pedidos também vêm para cá. No ínicio do mês, quando estou fazendo aquele planejamento guia dou uma espiada aqui e escolho aqueles que vão virar posts naquele mês.

Contatos

Blog Planner: Contatos

Esta não está diretamente ligada ao dia-a-dia do blog, apenas tem origem nele. Aqui coloco os endereços físicos daquelas pessoas que conheci através do blog e cuja amizade evoluiu para algo além do puramente virtual, pessoas para quem envio uma cartinha, um cartão ou um mimo de vez em quando.

Enfim…

… meu blog planner funciona assim. :)

Acredito, sinceramente, que meu sistema não deve funcionar para muita gente, mas espero que sirva como inspiração para quem está procurando seu próprio sistema. Se vale uma dica, creio que o mais importante é experimentar, começar de alguma maneira e, no uso, identificar o que funciona e o que não funciona para você, fazendo as adaptações quantas vezes for necessário.

O post acabou ficando mais longo do que eu esperava, creio que consegui responder à todas perguntas que me fizeram depois daquela foto no Instagram, mas se ainda tiver alguma dúvida, é só perguntar!

Mais alguém aí costumam ter um esquema para organizar as postagens do blog? Me conta aí como funciona que estou curiosa!

P.S.

Desculpem-me a baixa qualidade das fotos, pessoal. Não tenho tido tempo de fazê-las durante o dia e à noite só posso contar com meu abajur de cabeceira que não é exatamente o mais apropriado para o caso…

No mais: estou devendo, há muito, MUITO tempo, um post parecido sobre como organizo minha agenda pessoal. Nem sei se as pessoas que pediram o post na época ainda têm interesse, mas tá vindo, povo, prometo.

Links interessantes #76

,

Livro: A Última Carta de Amor, de Jojo Moyes

, ,

A Última Carta de Amor (Jojo Moyes)

Comprei este livro em uma promoção na Bienal de 2012, meio que por impulso, imaginando uma dessas histórias de amor bem melosas, do tipo que gosto de ter na estante para aqueles momentos em que quero ler, mas não estou para nada que exija muito dos neurônios.

A Última Carta de Amor conta o drama de Jennifer Stirling, uma mulher da alta sociedade em meados do ano de 1960 que acorda em um hospital sofrendo de grave perda de memória depois de um acidente de carro. Fisicamente recuperada, ela volta para casa com o marido, mas por mais que tente se adequar e retomar sua vida, sente que alguma coisa está faltando, até que descobre entre suas coisas uma série de cartas de amor assinadas por “B” e se dá conta de que estava tendo um romance fora do casamento e, mais do que isso, parecia disposta a arriscar tudo para vivê-lo.

A trama se desenrola no decorrer dos anos, alternando desde períodos pré e pós o acidente de Jennifer até uma nova época, quatro década depois, quando a jornalista Ellie encontra uma dessas cartas de amor e, obcecada por reconstruir a história, procura saber que fim levaram os (des)afortunados amantes.

Bem, sim, é uma história “dessas bem melosas”, com direito a muitos infortúnios, encontros e desencontros, belas palavras de amor – ainda que o “vai fazer você chorar” estampado na capa me pareça um exagero. Praticamente tudo o que eu esperava, mas ainda me surpreendi com alguns aspectos.

Admito que antes de começar a leitura eu já tinha um pré-julgamento, imaginava que esta seria mais uma dessas autoras que aposta tudo em uma trama bem açucarada deixando de lado as preocupações com a escrita ou o desenvolvimento das personagens. E é justamente aí que me enganei.

O argumento não é de todo inédito e tem lá seus momentos clichés, mas é bem amarrado, consegue prender a atenção. O texto é caprichado, paira sobre uma mescla de tragédia e humor que funciona surpreendentemente bem. As idas e vindas da narrativa parecem um pouco confusas a princípio – em vários momentos precisei retornar alguns parágrafos para me situar – mas ao final, quando tive a visão do todo, percebi que sim, eu entrei na história.

Talvez eu devesse “aprender” a não ficar fazendo pré-julgamentos dos livros antes da leitura, mas se for para ter boas surpresas como esta até que vale a pena, não?

Última Carta de Amor, A

Moyes, Jojo

Capa: A Última Carta de Amor

  • Editora: Intrínseca
  • Categorias: Literatura Estrangeira, Romance
  • Título Original em inglês: The Last Letter From Your Lover
  • Site do autor: http://www.jojomoyes.com
  • Avaliação: ★★★★☆